ergonomia - PowerPoint PPT Presentation

About This Presentation
Title:

ergonomia

Description:

ergonomia antropometria prof. mauro pinheiro universidade federal do esp rito santo centro de artes depto. de desenho industrial * derivado do grego * derivado do ... – PowerPoint PPT presentation

Number of Views:747
Avg rating:3.0/5.0
Slides: 33
Provided by: Mauro212
Category:

less

Transcript and Presenter's Notes

Title: ergonomia


1
ergonomia
antropometria
prof. mauro pinheiro
universidade federal do espírito santo centro de
artes depto. de desenho industrial
2
lembrando...
a ergonomia estuda a adaptação do trabalho
(ferramentas, ambiente, logística, processos) ao
homem, buscando garantir conforto dos sujeitos e
a eficiência na execução da tarefa
3
lembrando...
estudo dos processos estudo dos ambientes análise
da tarefa estudo dos usuários características
sócio-econômicas, psicológicas, fisiológicas,
antropométricas
4
antropometria
antropos (humano) metrikos (medida de)
ciência das medidas humanas
5
marcos históricos
1273 / 1295 Marco Polo viaja ao oriente e
registra variações raciais das populações em
comparação com o ocidente (antropologia física)
1870 publicação de Antropometrie, do estatístico
belga Quetelet, considerada a primeira pesquisa
em grande escala a tratar sistematicamente desse
tema.
6
antropometria
  • aplicação dos métodos científicos para tomada de
    medidas físicas nos seres humanos para
  • determinar as diferenças dessas medidas entre
    indivíduos e grupos sociais
  • fornecer dados úteis para projetos de
    arquitetura, urbanismo, desenho industrial,
    comunicação visual e de engenharia
  • melhor adequação dos produtos a seus usuários

(Pequini, 2005, apud Boueri, 1991)
7
(No Transcript)
8
(No Transcript)
9
(No Transcript)
10
variáveis antropométricas
  • as medidas do corpo variam em função de
  • fatores intrínsecos
  • sexo
  • etnia / raça
  • idade
  • nutrição
  • fatores extrínsecos
  • clima
  • vestuário
  • postura
  • horários

11
idade
  • crianças x adultos x idosos
  • mudanças nas proporções do corpo(criança x
    adulto)
  • redução dos movimentos, perda óssea(adulto x
    idoso)
  • mudança da postura em função da debilitação dos
    músculos e articulações (idoso)
  • vista cansada (idosos)

12
idade
Mudanças relativas à altura devido ao
envelhecimento(National Health Survey, USA, 1962)
13
sexo
14
etnia
15
etnia
16
percentis
porcentagem de indivíduos que apresentam uma
medida antropométrica de um determinado tamanho,
ou menor do que esse tamanho o universo estudado
é dividido em 100 categorias percentuais, e
ordenadas do menor para o maior tamanho os
percentis os percentis mostram a freqüência
(número de casos) para os valores encontrados em
cada variável antropométrica, apresentando-os
como porcentagem da população estudada
17
(No Transcript)
18
percentis
1 2,5 5 25 50 75 90 95 97,5 99
100
medidas menores
medidas maiores
19
percentis
extremos
extremos
1 2,5 5 25 50 75 90 95 97,5 99
100
medidas menores
medidas maiores
20
percentis
não existe o homem médio
  • percentil 50 se refere a uma medida específica de
    uma variável antropométrica.
  • uma mesma pessoa pode ter medidas antropométricas
    de diferentes percentis
  • somente 3 da população tem três medidas
    antropométricas médias
  • menos de 2 da população apresenta quarttro
    medidas antropmétrica médias

21
percentis
não existe o homem médio
Percentis USAF Flying Personal, 1950 (ROEBUCK,
1975)
22
diretrizes projetuais
ao se trabalhar com pessoas variadas (mais de um
indivíduo), o projeto deve levar em consideração
a diversidade de características da
população usar valores da média como parâmetro
irá excluir grande parte da população ideal é
trabalhar dentro de uma faixa que contemple a
maior variedade de indivíduos (percentis extremos
de variáveis antropométricas)
23
diretrizes projetuais
cuidado e critério na hora de buscar dados
antropométricos melhor trabalhar com tabelas de
dados antropométricos de outros países do que
fazer uma medição equivocada da população
alvo brasileiros se assemelham aos europeus
mediterrâneos (portugueses, espanhóis, franceses,
italianos e gregos), são menores que os nórdicos
e maiores que os asiáticos. erros tolerados pela
antropometria aplicada de até 5.
24
diretrizes projetuais
ao utilizar tabelas de dados antropométricos
prontas, tentar usar as mais próximas possível da
população alvo (ex evitar grupos muito
específicos, como soldados, ou trabalhadores de
fábricas, quando não for desenvolver projetos
para esse tipo de pessoas) a tendência é que não
haja variação muito grande entre populações a
variação é maior intra-população! (ex diferença
entre o maior homem americano e o maior homem
brasileiro não é grande. A diferença entre o
maior homem e o menor homem brasileiros é grande)
25
diretrizes projetuais
as medidas a serem usadas devem considerar a
tarefa/situação em questão exemplos cadeira
de digitação exige apoio lombar e dorsal os dado
antropométricos devem ser altura cervical e
largura do tórax entre as axilas cadeira leito
exige apoio máximo das costas e privacidade do
passageiro os dado antropométricos devem ser
altura do topo da cabeça com o sujeito sentado e
largura bi-deltóide cadeira de datilografia
exige apoio lombar e movimentação os dados
antropométricos são a altura e largura entre as
axilas
26
diretrizes projetuais
análise de custo x benefício ideal atender a
100 da população real atender ao maior
espectro, com menor variação/ajustes de projeto
27
diretrizes projetuais
as medidas a serem usadas devem considerar a
tarefa/situação em questão exemplos prateleira
deve ficar em uma altura que o percentil mais
baixo e com menor alcance ainda possa acessá-la.
A população com percentil de maior alcance
provavelmente irá conseguir usar roletas deve
permitir que o percentil do maior quadril consiga
passar. os percentis menores com certeza poderão
usar sem problema largura de portas?
28
medidas estáticas
estudo do corpo em situação de repouso
29
medidas dinâmicas
estudo do corpo em situação de ação, movimento
30
algumas medidas antropométricas
31
(No Transcript)
32
A. Campo de visão para manipulações ou
observações frequentes em cada ciclo de trabalho
sem requerer o movimento da cabeça 30º B. Ângulo
máximo aceitável para a flexão da cabeça 30º C.
Campo de visão para manipulações ocasionais (no
máximo uma vez em cada 3 a 5 ciclos de trabalho)
utilizando a rotação da cabeça, mas sem a rotação
do tronco 60º D. Ângulo aceitável para a flexão
do tronco 30º E. Campo de visão máximo para
manipulações ou observações esporádicas,
utilizando a flexão da cabeça e do tronco 90º
Write a Comment
User Comments (0)
About PowerShow.com