Apresenta - PowerPoint PPT Presentation

Loading...

PPT – Apresenta PowerPoint presentation | free to download - id: 6c6779-NmU2O



Loading


The Adobe Flash plugin is needed to view this content

Get the plugin now

View by Category
About This Presentation
Title:

Apresenta

Description:

Title: Apresenta o do PowerPoint Author: chiruder Last modified by: Notei5 01 Created Date: 5/9/2012 2:48:21 PM Document presentation format: Apresenta o na ... – PowerPoint PPT presentation

Number of Views:2
Avg rating:3.0/5.0
Date added: 24 February 2020
Slides: 53
Provided by: chir157
Category:
Tags: apresenta

less

Write a Comment
User Comments (0)
Transcript and Presenter's Notes

Title: Apresenta


1
A Nova Contabilidade Pública "Normas Brasileiras
de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público
NBCASP XX Reunião Ordinária do
FONDCF Fortaleza, 09/05/2012
Coordenação Geral de Normas de Contabilidade
Aplicadas à Federação - STN/CCONF Grupo
Assessor das Normas Brasileiras de Contabilidade
Aplicadas ao Setor Público - CFC
2
Precisamos todos rejuvenescer nossos
conhecimentos...
Você não sente nem vê Mas eu não posso deixar de
dizer, meu amigo Que uma nova mudança em breve
vai acontecer E o que há algum tempo era jovem,
novo Hoje é antigo, e precisamos todos
rejuvenescer Belchior
3
(No Transcript)
4
(No Transcript)
5
Alguns questionamentos que intrigam...
  • Não se pode registrar as despesas incorridas sem
    autorização orçamentária?
  • O setor público não pode depreciar, exaurir e
    amortizar?
  • Não se deve fazer provisões de férias e décimo
    terceiro?
  • É proibido aplicar o Regime de Competência no
    setor público?

Cumprimos integralmente a Lei 4.320/1964?
6
Característica dos Sistemas Contábeis Nacionais
CARACTERÍSTICA PAÍSES C/ SIST. CONTÁB. DE BAIXO NÍVEL DE DESENV. PAÍSES C/ SIST. CONTÁB. DE MÉDIO NÍVEL DE DESENV. PAÍSES C/ SIST. CONTÁB. DE ALTO NÍVEL DE DESENV.
Regime de competência para reconhec. de despesas e receitas
Desvinculação da contabilidade da inf. Orçamentária
Apresentação de inf. não financeiras nas Demonstrações Contábeis
Possuem forte influência dos órgãos profissionais contábeis
Apresentam inf. que suportem o levantamento da eficiência, efetividade e economicidade nos serviços
Desenvolvem sistemas de contab. no sentido de melhorar o gerenciamento da administração pública
Reg. comp. modificado
NÃO
SIM
Incipiente
NÃO
SIM
Sistema Contábil de Médio nível de
Desenvolvimento, caminhando para alto.
Alguns casos
NÃO
SIM
E o Brasil?
Incipiente
NÃO
SIM
NÃO
SIM
Incipiente
NÃO
SIM
Incipiente
7
Objetivos do Novo Modelo de Contabilidade
Aplicada ao Setor Público
Inserção do país nos padrões internacionais
Cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal
Comparabilidade
Manual de Estatísticas de Finanças Públicas (GFSM)
Evitar Punições (Lei de Crimes Fiscais)
Contabilidade Aplicada ao Setor Público
Contabilidade Patrimonial
Combater a Contabilidade Criativa
Implantação de Sistema de Custos
Consolidação das Contas Públicas (STN)
Eficiência do Gasto
8
(No Transcript)
9
(No Transcript)
10
(No Transcript)
11
Principais Entidades Normativas
Internacionais
  • IFAC International Federation Of Accountants
  • Organização de abrangência global com foco na
    profissão contábil. Edita normas contábeis
    referentes aos padrões éticos da profissão, ao
    setor público (IPSAS), à qualidade, à auditoria
    e à formação
  • educacional
  • Representantes do Brasil CFC e IBRACON
  • Website http//www.ifac.org/
  • IASB International Accounting Standard Board
    (Ex-IASC)
  • Organização privada independente, sem fins
    lucrativos, que edita padrões contábeis (IFRS)
    aplicados ao mercado de capitais
  • Representantes do Brasil (2010) ex-Ministro da
    Fazenda e ex-diretor de normas do BC
  • Website http//www.iasb.org

12
Principais Entidades Normativas
SETOR PÚBLICO
SETOR PRIVADO
IFAC
converg.
FASB
edita
inspira
IPSAS
observa
IFRS
CPC
STN
CFC
edita
edita
edita
pronunciam.
IASB
NBC T SP 16
MCASP
MPS
União/Estados
Municípios
13
Macroprocessos
O processo de convergência pode ser dividido nas
seguintes etapas
14
Mapa de Processo da Convergência
TRADUÇÃO
TRADUÇÃO (V1) VALIDADA
TRADUÇÃO REVISADA
TRADUÇÃO REENVIADA
TRADUÇÃO (V2) DIVULGADA
Aprovação
Formatação
Publicação
Convergência
NBCASP CONVERGIDA
Estudos
Comparações
Análise
Discussão
15
ENTENDENDO O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA
  • Onde estamos?

NBCASP CONVERGIDA
TRADUÇÃO DIVULGADA IPSAS
ABRANGÊNCIA DO PROCESSO DE CONVERGÊNCIA
16
Normas Internacionais de Contabilidade Aplicada
ao Setor Público
Prefácio / Termos de Referência / Glossário
IPSAS 1 - Apresentação das Demonstrações Contábeis (61p)
IPSAS 2 - Demonstração de Fluxos de Caixa (23p)
IPSAS 3 - Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro (31p)
IPSAS 4 - Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis (24p)
IPSAS 5 - Custos de Empréstimos (12p)
IPSAS 6 - Demonstrações Consolidadas (34p)
IPSAS 7- Investimento em Coligada/Controlada (19p)
IPSAS 8 - Investimento em Empreendimento Controlado em Conjunto (Joint Venture) (30p)
17
Normas Internacionais de Contabilidade Aplicada
ao Setor Público
IPSAS 9 - Receita de Transações com Contraprestação (22p)
IPSAS 10 - Demonstrações Contábeis em Economias Hiperinflacionárias
IPSAS 11 - Contratos de Construção (26p)
IPSAS 12 Estoques (17p)
IPSAS 13 - Operações de Arrendamento Mercantil (38p)
IPSAS 14 - Evento Subsequente (16p)
IPSAS 16 - Propriedade para Investimento (34p)
IPSAS 17 - Ativo Imobilizado (43p)
IPSAS 18 - Informações por Segmento
IPSAS 19 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes (44p)
IPSAS 20 - Divulgações sobre Partes Relacionadas (20p)
18
Normas Internacionais de Contabilidade Aplicada
ao Setor Público
IPSAS 21- Redução ao Valor Recuperável de Ativos Não Geradores de Caixa (41p)
IPSAS 22- Divulgação de Informação Contábil sobre o Setor do Governo Geral (26p)
IPSAS 23- Receita de Transações sem Contraprestação (Tributos/Transferência) (55p)
IPSAS 24- Apresentação de Informações orçamentais nas Demonstrações Contábeis (30p)
IPSAS 25 - Benefícios a Empregados (86p)
IPSAS 26 - Redução ao Valor Recuperável de Ativos Geradores de Caixa (55p)
IPSAS 27 - Ativo Biológico e Produto Agrícola (24p)
IPSAS 28 - Instrumentos Financeiros Apresentação  (96p)
IPSAS 29 - Instrumentos Financeiros Reconhecimento e Mensuração (307p)
IPSAS 30 - Instrumentos Financeiros Divulgação (61p)
IPSAS 31 - Ativo Intangível (41p)
IPSAS 32 Contratos de Concessão de Serviços Concedente (62p)
19
Histórico de Versões do MCASP Mudanças Formais
1ª EDIÇÃO MCASP Elaborada 2008 Válida 2009
2ª EDIÇÃO MCASP Elaborada 2009 Válida 2010
3ª EDIÇÃO MCASP Elaborada 2010 Válida 2011
4ª EDIÇÃO MCASP Elaborada 2011 Válida 2012
VOLUMES I Manual da Receita II Manual da
Despesa
VOLUMES I P. Contábeis Orçamentários II P.
Contábeis Patrimoniais III P. C. Específicos IV
Plano de Contas ASP V Demonstrações CASP
VOLUMES I Volume Principal Parte 1 PCO Parte
2 PCP Parte 3 PCE Parte 4 PCASP Parte 5
DCASP Parte 6 PR Parte 7 Exercício
Prático Parte 8 DEFPASP II Volume Anexos
VOLUMES I Volume Principal Parte 1 PCO Parte
2 PCP Parte 3 PCE Parte 4 PCASP Parte 5
DCASP Parte 6 PR Parte 7 Exercício
Prático Parte 8 DEFPASP II Volume Anexos
20
(No Transcript)
21
Normas Brasileiras de CASP
NBCASP, NBC T SP ou NBC T 16
Número Ementa
NBC T 16.1 Conceituação, Objeto e Campo De Aplicação
NBC T 16.2 Patrimônio e Sistemas Contábeis
NBC T 16.3 Planejamento e Seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil
NBC T 16.4 Transações no Setor Público
NBC T 16.5 Registro Contábil
NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis
NBC T 16.7 Consolidação das Demonstrações Contábeis
NBC T 16.8 Controle Interno
NBC T 16.9 Depreciação, Amortização e Exaustão
NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público
NBC T 16.11 Sistema de Informação de Custos do Setor Público
22
Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público (NBC T SP)
  • NBC T 16.1 - Conceituação, Objeto e Campo de
    Aplicação
  • A Contabilidade do Setor Público deve aplicar os
    Princípios de Contabilidade
  • O Objetivo da CASP é fornecer informações sobre
    os resultados alcançados e os aspectos de
    natureza orçamentária, econômica, financeira e
    física do patrimônio da entidade do setor público
    e suas mutações
  • O Objeto da CASP é o Patrimônio Público
  • NBC T 16.1 - Patrimônio e Sistemas Contábeis
  • Conceitua Patrimônio Público e incorpora
    características da definição internacional quando
    estabelece que este deve ser portador ou
    represente um fluxo de benefícios, presente ou
    futuro, inerente à prestação de serviços
    públicos.
  • O Sistema Contábil controla e evidenciação dos
    atos e dos fatos da gestão do patrimônio público
    e está estruturado nos seguintes subsistemas de
    informações Orçamentário Financeiro
    Patrimonial Custos Compensação.

23
Regime Orçamentário x Regime Contábil
Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público
  • Regime Orçamentário
  • Pertencem ao exercício financeiro
  • As receitas (orçamentárias) nele arrecadadas
  • As despesas (orçamentárias) nele legalmente
    empenhadas
  • Regime Contábil
  • As receitas e as despesas devem ser incluídas na
    apuração do resultado do período em que
    ocorrerem, sempre simultaneamente quando se
    correlacionarem, independentemente de recebimento
    ou pagamento.
  • A despesa e a assunção de compromisso serão
    registradas segundo o regime de competência.

24
Importância da Contabilidade por Competência
Nível Macrofiscal (Política Econômica)
Competência Evidencia os ativos e passivos que
são relevantes para a orientação global da
política econômica e sustentabilidade
fiscal. Revela todos os ativos e passivos, tais
como valores a pagar referente ao recebimento de
bens e serviços, créditos a receber, e passivos
previdenciários e outras obrigações com impactos
financeiros no longo prazo. Caixa Evidencia
apenas a dívida convencional, normalmente
decorrente da execução orçamentária.
25
Importância da Contabilidade por Competência
Implantação de Sistema de Custos
  • A contabilidade por competência é essencial para
    determinar os custos totais das atividades do
    governo.
  • Informações de custo total das ações de governo
    (incluindo os custos não monetários, tais como
    depreciação e custos futuros das pensões do
    serviço público) é essencial para avaliar a
    eficiência dos serviços públicos.
  • Gestão de custos é um elemento fundamental
    governos e entidades públicas que realizam gestão
    com foco no desempenho.

26
Importância da Contabilidade por Competência
A contabilidade por competência permite
  • confirmar a posse, exercer controle efetivo e
    proteger o valor econômico dos bens públicos?
  • averiguar os tipos, quantidades, prazos e grau de
    incerteza da dívida pública e outros passivos, e?
  • avaliar a situação financeira e o desempenho das
    finanças públicas.

27
MCASP Aderência pelos Entes da Federação
Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
TCE-MT Resolução Normativa 11/2009 Normatiza
procedimentos contábeis que permitem o
reconhecimento, a mensuração e a evidenciação de
elementos que integram o patrimônio do Estado e
seus Municípios, especificamente no que tange às
operações relativas às transferências
intergovernamentais e intraorçamentárias e ao
registro da dívida pública, sob o enfoque dos
princípios da competência e oportunidade ?
convergência aos padrões internacionais e
aderência ao PCASP.
28
Extrato do Parecer Prévio do TCE-BA - 2010
29
Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público (NBC T SP)
  • NBC T 16.4 - Transações no Setor Público
  • As Transações no Setor Público devem registrar os
    atos e os fatos que promovem alterações
    qualitativas ou quantitativas, efetivas ou
    potenciais, no patrimônio das entidades do setor
    público em estrita observância aos Princípios de
    Contabilidade e às Normas Brasileiras de
    Contabilidade.
  • Existem duas Natureza de Transações no Setor
    Público a) econômico-financeira - fatos que
    afetam o patrimônio público b) administrativa -
    originadas de atos administrativos.

Princípio da Universalidade do Registro
  • NBC T 16.5 - Registro Contábil
  • os registros devem ser realizados e os seus
    efeitos evidenciados nas demonstrações do período
    com os quais se relacionam, reconhecidos,
    portanto, pelos respectivos fatos geradores,
    independentemente do momento da execução
    orçamentária.
  • os registros das transações das entidades devem
    ser efetuados considerando as relações jurídicas,
    econômicas e patrimoniais, prevalecendo nos
    conflitos a essência sobre a forma.

30
Balanço Patrimonial Sistema Contábil de Baixo
Nível
ATIVO ATIVO PASSIVO PASSIVO
ATIVO FINANCEIRO 305.000 PASSIVO FINANCEIRO 115.000
Disponível 305.000 Fornecedores a Pagar 89.000
Caixa (Tesouraria) 10.000
Bancos Conta Movimento 225.000
Aplicação Financeira 60.000
ATIVO NÃO-FINANCEIRO 100.000 PASSIVO NÃO-FINANCEIRO 65.000



Bens Móveis 40.000 Dívida de Longo Prazo 65.000






Crédito a Receber de LP 60.000 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 225.000

TOTAL DO ATIVO 405.000 TOTAL DO PASSIVO 405.000
31
Balanço Patrimonial Sistema Contábil de Alto
Nível
ATIVO ATIVO PASSIVO PASSIVO
ATIVO FINANCEIRO 305.000 PASSIVO FINANCEIRO 115.000
Disponível 305.000 Fornecedores a Pagar 89.000
Caixa (Tesouraria) 10.000
Bancos Conta Movimento 225.000
Aplicação Financeira 60.000
ATIVO NÃO-FINANCEIRO 100.000 PASSIVO NÃO-FINANCEIRO 65.000



Bens Móveis 40.000 Dívida de Longo Prazo 65.000






Crédito a Receber de LP 60.000 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 225.000

TOTAL DO ATIVO 405.000 TOTAL DO PASSIVO 405.000
32
Para Reflexão
O objetivo principal da Contabilidade é de
gerar informações úteis para os seus
usuários Livro Teoria da Contabilidade, Editora
Atlas
É muito caro para a sociedade investir recursos
humanos e financeiros na geração de informações
que cumprem a legislação, mas que ninguém utiliza
para tomada de decisão Paulo Henrique Feijó
33
Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público (NBC T SP)
  • NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis
  • As demonstrações contábeis são
  • Balanço Patrimonial
  • Balanço Orçamentário
  • Balanço Financeiro
  • Demonstração das Variações Patrimoniais
  • Demonstração do Fluxo de Caixa
  • Demonstração do Resultado Econômico.
  • NBC T 16.7 Consolidação das Demonstrações
    Contábeis
  • considerar as relações de dependência entre as
    entidades do setor público
  • abranger as transações contábeis de todas as
    unidades objeto da consolidação
  • os ajustes e as eliminações decorrentes do
    processo de consolidação devem ser realizados em
    documentos auxiliares
  • devem ser levantadas na mesma data (Prazo máximo
    de diferença 3 meses)

34
Demonstrações Contábeis Portaria STN 749/2009
  • Balanço Orçamentário
  • Balanço Financeiro
  • Balanço Patrimonial
  • Demonstração das Variações Patrimoniais

Lei 4.320 e NBCASP
  • Demonstrativo do Fluxo de Caixa
  • Demonstração do Resultado Econômico (Facultativa)

NBCASP
  • Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido
  • (Apenas para entes que tenham Empresas Estatais
    Dependentes)

LRF
35
Grande parte da mudança é cultural.....
Entidades Federais que fazem a Contabilidade
Patrimonial segundo as Normas Empenha, liquida,
paga, provisiona, deprecia, registra o contas a
receber, reconhece passivos independente da
execução orçamentária E utiliza o Siafi no plano
de contas antigo
36
Institucionalização na Federação
Governo do Estado de Pernambuco Decreto 35.114,
de 8/06/2010 (DO-PE 09/06/2010) Art. 1º Fica
instituído, no âmbito do Poder Executivo
Estadual, sob a coordenação da Secretaria da
Fazenda, Grupo de Trabalho denominado Grupo de
Procedimentos Contábeis de Pernambuco GTCON/PE,
com o fim de elaborar planejamento estratégico e
implementar medidas que possibilitem I - a
adaptação da contabilidade publica estadual aos
requerimentos das Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicadas ao Setor Publico -
NBCASP e II a adoção do novo modelo de Plano
de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP.
Governo do Estado do Acre Decreto 5.524, de
29/07/2010 (DO-AC 30/07/2010) Art. 1 Fica
instituído, no âmbito do Poder Executivo
Estadual, sob a coordenação da Secretaria de
Estado da Fazenda, Grupo de Trabalho denominado
Grupo de Procedimentos Contábeis do Estado do
Acre - GTCON/AC, com o fim de elaborar
planejamento estratégico e implementar medidas
que possibilitem ...
37
Institucionalização na Federação
Governo do Estado do Espírito Santo. DECRETO Nº
2577-R, de 03 de setembro de 2010. Fica
instituído, no âmbito do Poder Executivo
Estadual, sob a coordenação da Secretaria da
Fazenda, Grupo de Trabalho denominado Grupo de
Procedimentos Contábeis do Espírito Santo
GTCON/ES
Governo do Estado de Santa Catarina Decreto
3.445, de 10/08/2010 (DO-SC 10/08/2010) Art. 1º
Fica instituído, no âmbito do Poder Executivo
Estadual, sob a coordenação do Diretor de
Contabilidade Geral da Secretaria da Fazenda, o
Grupo de Trabalho de Procedimentos Contábeis do
Estado de Santa Catarina GTCON/SC, com vistas a
implementar medidas que possibilitem ...
38
Capacitação Profissional
  • Discussões no Grupo Técnico de Procedimentos
    Contábeis
  • Elaboração embasada em discussões constantes
    junto à Comunidade Contábil ? Aprovação junto aos
    formadores de opinião
  • Futuras alterações passam por chancela do Grupo
    Técnico
  • Formação de Multiplicadores
  • Parceria com CFC/CRCs, Tribunais de Contas e
    outras Instituições para capacitação de
    multiplicadores regionais.
  • Disseminação de Material de Apoio à Federação
  • Manuais impressos (25.000 cópias) e em meio
    digital
  • Distribuição de Material de apresentação
  • Atendimento a demandas pontuais ? ouvidorias.

39
(No Transcript)
40
É uma mudança da Gestão Contábil.....
Estrutura Organizacional
PCASP
Tecnologia
Gestão Contábil
Recursos Humanos
DCASP e Demonstrativos Fiscais
Liderança
41
Implementação de um Padrão para o País
Entrada (PCASP)
Processamento
Saída (Demonstrativos)
Sistema Integrado de Administração Financeira (S
IAFC)
RREO
RGF
LRF (Alterado LC 131/2009)  Art. 48. 
..................................................
................... Parágrafo único.  A
transparência será assegurada também
mediante  ........ III adoção de sistema
integrado de administração financeira e controle,
que atenda a padrão mínimo de qualidade
estabelecido pelo Poder Executivo da União e ao
disposto no art. 48-A. (NR) 
DCASP
42
Os Pilares da Boa Informação Contábil e Fiscal
Garantia da Padronização e Qualidade das
Informações Contábeis e Fiscais
43
Quais os Requisitos Mínimos para SIAFC ?
  • Requisitos de Negócio
  • Adoção do Plano de Contas Aplicado ao Setor
    Público
  • Regras Contábeis sob controle do Contador
  • Imutabilidade dos Documentos
  • Registros Contábeis Automatizados
  • Geração de Relatórios e demonstrativos em
    consonância com as regras do MDF e MCASP
  • Documentos básicos com informações mínimas
  • Requisitos de Sistema
  • Regras de segurança para acesso e armazenamento
    das informações
  • Possibilidade de integração com sistemas de
    transparência e controle
  • Requisitos tecnológicos mínimos

44
Regulamentação da LC 131/2009 Acesso à
Informação Pública
45
(No Transcript)
46
Institucionalização no Governo Federal
Portaria MF nº 184/08 - Dispõe sobre as
diretrizes a serem observadas no setor público
quanto aos procedimentos, práticas, elaboração e
divulgação das demonstrações contábeis, de forma
a torná-los convergentes com as Normas
Internacionais de Contabilidade Aplicadas ao
Setor Público.
  • DIRETRIZES
  • Identificar as necessidades de convergência às
    normas internacionais de contabilidade publicadas
    pela IFAC e às normas Brasileiras editadas pelo
    CFC
  • Editar normativos, manuais, instruções de
    procedimentos contábeis e Plano de Contas
    Nacional, objetivando a elaboração e publicação
    de demonstrações contábeis consolidadas, em
    consonância com os pronunciamentos da IFAC e com
    as normas do CFC
  • Adotar os procedimentos necessários para atingir
    os objetivos de convergência estabelecido no
    âmbito do Comitê Gestor da Convergência no Brasil.

47
Instituc. na Federação - Portaria STN nº 828/2011
CRONOGRAMA DE AÇÕES PARA ADEQUAÇÃO A
  1. Créditos, tributários ou não, por competência, e
    a dívida ativa, incluindo os respectivos ajustes
    para perdas
  2. Obrigações e provisões por competência
  3. Bens móveis, imóveis e intangíveis
  1. Fenômenos econômicos, resultantes ou
    independentes da execução orçamentária, tais como
    depreciação, amortização, exaustão
  2. Ativos de infraestrutura
  3. Implementação do sistema de custos
  4. Aplicação do Plano de Contas
  5. Aspectos patrimoniais previstos MCASP.

48
Condução da Modernização Contábil na Federação
  • RESOLUÇÕES T.C. Nº 1 E 2/2012
  • Demonstrativo de atendimento à Portaria STN nº
    828/2011 (Anexos VI e V, respectivamente).
  • Flexibilização para que jurisdicionados pactuem
    prazos junto ao TCE-PE
  • Acompanhamento proativo pelo TCE-PE acerca do
    percentual de execução até a data pactuada.
  • MINUTA DE RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº xx/2012
  • Cronograma de implementação das novas regras
    aplicadas à contabilidade Pública em atendimento
    às Portarias STN nº 406/2011 e 828/2011.
  • Adoção obrigatória do PCASP
  • Estabelecimento de prazo limite, dentro do qual
    há flexibilização para adequação dos
    jurisdicionados
  • Desenvolvimento do sistema de coleta de dados do
    TCE-MT para adequação ao novo modelo contábil.

49
É um Terremoto na Contabilidade do Setor Público?
Urgente. Possível movimento sísmico na zona.
Muito perigoso. Richter 7. Epicentro a 3 km da
cidade.Tomem medidas e informem resultados com
urgência.
50
É um Terremoto na Contabilidade do Setor Público?
Somente uma semana depois, o CSN recebeu um
telegrama
51
Para desarticular o terremoto da contabilidade
devemos....
  • Controlar o Contas a Receber (Crédito
    Tributário)...
  • Encontrar os Bens....
  • Avaliar de forma correta o patrimônio ...
  • Registrar a perda de valor do patrimônio
    (Depreciação, Exaustão,..)
  • Fazer as Provisões...

52
OBRIGADO !
Luiz MarioVieira Controlador TCM-CE Membro do
Grupo Assessor das NBC T SP - CFC Representante
do CFC no GTSIS/STNmario.vieira_at_uol.com.br/
luizmario_at_tcm.ce.gov.br Tels (85) 32181467 /
(85) 88810598
Paulo Henrique Feijó
Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade
Aplicadas à Federação
Grupo Contabilidade Aplicada ao Setor Público
_at__Tesouro
ccont.df.stn_at_fazenda.gov.br
(61) 3412.3011
_at_PauloHFeijo
"Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é
alguém que acredite que ele possa ser realizado.
Roberto Shinyashiki
About PowerShow.com