Apresenta - PowerPoint PPT Presentation

Loading...

PPT – Apresenta PowerPoint presentation | free to download - id: 6b7825-ZTVlM



Loading


The Adobe Flash plugin is needed to view this content

Get the plugin now

View by Category
About This Presentation
Title:

Apresenta

Description:

Title: Apresenta o do PowerPoint Author: Renie Last modified by. Created Date: 2/27/2005 5:53:24 PM Document presentation format: Apresenta o na tela (4:3) – PowerPoint PPT presentation

Number of Views:6
Avg rating:3.0/5.0
Date added: 1 October 2019
Slides: 99
Provided by: renie
Learn more at: http://www.educacional.com.br
Category:
Tags: apresenta | nina

less

Write a Comment
User Comments (0)
Transcript and Presenter's Notes

Title: Apresenta


1
DOMÍNIOS
MORFOCLIMÁTICOS
DO BRASIL
2
AS PAISAGENS SÃO O RESULTADO DA AÇÃO DO
CLIMA, RELEVO, HIDROGRAFIA, VEGETAÇÃO , SERES
VIVOS E DO HOMEM
AÇÃO ANTRÓPICA
3
DOMÍNIO MORFOCLIMÁTICO
REGIÃO QUE APRESENTA PAISAGENS PARECIDAS
4
(No Transcript)
5
(No Transcript)
6
(No Transcript)
7
(No Transcript)
8
BIOMAS / ECOSSISTEMAS
9
AMAZÔNICO MAIOR ECOSSISTEMA BRASILEIRO
10
(No Transcript)
11
(No Transcript)
12
(No Transcript)
13
CLIMA EQUATORIAL
  • EQUATORIAL ÚMIDO (SEMPRE ÚMIDO) 2500mm
  • EQUATORIAL SUBÚMIDO (CURTA ESTAÇÃO SECA) 2000mm
  • PRECIPITAÇÕES ABUNDANTES
  • CHUVA DE CONVECÇÃO EVAPORAÇÃO DA PRÓPRIA
    FLORESTA
  • MASSAS DE AR mEc / mEa
  • ELEVADAS MÉDIAS TÉRMICAS
  • PEQUENA AMPLITUDE TÉRMICA

14
MÁQUINA DE FAZER CHUVA EVAPOTRANSPI-RAÇÃO CONDENSA
ÇÃO COM A ALTITUDE/ MENORES TEMPERATURAS PRECIPITA
ÇÃO
15
(No Transcript)
16
(No Transcript)
17
(No Transcript)
18
(No Transcript)
19
VEGETAÇÃO FLORESTA EQUATORIAL
  • HETEROGÊNEA CALOR E HUMIDADE RÁPIDA
    DECOMPOSIÇÃO-FERTILIDADE
  • TODOS OS ESTRATOS VEGETAIS
  • EM GERAL OS SOLOS SÃO PROFUNDOS LATOSSOLOS
  • HÁ ÁREAS COM SOLOS FRACOS E OUTRAS COM SOLOS
    FÉRTEIS
  • PERENIFÓLEAS , LATIFOLIADAS, HIGRÓFILAS

20
ARBÓREO ARBUSTIVO HERBÁCEO GRAMÍNEAS
21
(No Transcript)
22
  • A FLORESTA É DIVIDIDA EM E PARTES
  • MATAS DE TERRA FIRME ÁREAS NÃO ATINGIDAS PELAS
    CHEIAS
  • VÁRZEAS- REGIÕES ATINGIDAS PELAS CHEIAS DOS RIOS
  • IGAPÓS- ÁREAS CONSTANTEMENTE INUNDADAS

23
IGAPÓ
24
(No Transcript)
25
VÁRZEA
26
CERRADO SEGUNDO MAIOR ECOSSISTEMA BRASILEIRO
27
CLIMA TROPICAL
  • mEc / mTa / mTc / mPa
  • mPa (INVERNO)
  • PRECIPITAÇÕES ANUAIS EM TORNO DE 1500mm
  • 2 ESTAÇÕES BEM DEFINIDAS CHUVOSA E SECA
    (ESTIAGEM)
  • ELEVADAS MÉDIAS TÉRMICAS

28
CERRADO
29
(No Transcript)
30
CARACTERÍSTICAS DA VEGETAÇÃO
  • GRANDE DIVERSIDADE DE TIPOS
  • VARIA CONFORME O MICROCLIMA, O SOLO, A ALTITUDE E
    A OFERTA DE ÁGUA
  • CERRADO SAVÂNICO, CERRADÃO, CERRADINHO, CAMPOS
    LIMPOS, CAMPOS SUJOS E CAMPOS RUPESTRES

31
(No Transcript)
32
CERRADÃO
  • FORMAÇÃO FLORESTAL
  • ESPÉCIES XEROMORFAS OU XEROMÓRFICAS FOLHAS QUE
    CONSERVAM ÁGUA RESISTENTES A LONGOS PERÍODOS DE
    ESTIAGEM
  • MATAS DE GALERIAS (PERENEFÓLIAS-NÃO PERDEM AS
    FOLHAS DURANTE A ESTAÇÃO SECA) E MATAS CILIARES
    ACOMPANHAM RIOS DE MÉDIO E GRANDE PORTE
    (DECÍDUAS-PERDEM AS FOLHAS NA ESTAÇÃO SECA)

33
(No Transcript)
34
MATA CILIAR
  • Acompanha os rios de médio e grande porte da
    região do Cerrado, em que a vegetação arbórea não
    forma galerias. Em geral essa Mata é
    relativamente estreita, dificilmente
    ultrapassando 100 metros de largura em cada
    margem. Diferencia-se da Mata de Galeria pela
    forma de queda das folhas e pela composição
    florística. Na Mata Ciliar há diferentes graus de
    queda das folhas na estação seca enquanto que na
    Mata de Galeria as plantas nunca perdem
    inteiramente as folhas.

35
  • As árvores, predominantemente eretas, variam em
    altura de 20 a 25 metros, com alguns poucos
    indivíduos emergentes alcançando 30 metros ou
    mais. As espécies típicas são predominantemente
    do tipo que perdem as folhas (caducifólias), com
    algumas sempre-verdes, conferindo à Mata Ciliar
    um aspecto semidecíduo. Ao longo do ano as
    árvores fornecem uma cobertura arbórea variável
    de 50 a 90. Na estação chuvosa a cobertura chega
    a 90, dificilmente ultrapassando este valor, ao
    passo que na estação seca pode até mesmo ser
    inferior a 50 em alguns trechos.

36
(No Transcript)
37
MATA CILIAR
38
MATA DE GALERIA
  • Vegetação florestal que acompanha os rios de
    pequeno porte e córregos dos planaltos do Brasil
    Central, formando corredores fechados (galerias)
    sobre o curso de água. Esse tipo de formação
    florestal mantém permanentemente as folhas
    (perenifólia), não apresentando queda
    significativa das folhas durante a estação seca.

39
MATA DE GALERIA
40
CERRADÃO
41
(No Transcript)
42
CAMPOS
  • As formações campestres do Cerrado englobam três
    tipos de vegetação principais o Campo Sujo, o
    Campo Limpo e o Campo Rupestre.
  • CAMPOS SUJOS- ESTRATO ARBUSTIVO-HERBÁCEO
    FORMAÇÕES RASTEIRAS
  • CAMPOS LIMPOS GRAMÍNEAS FORMAÇÕES RASTEIRAS
  • CAMPOS RUPESTRES MISTURA DOS DOIS ANTERIORES
    COM AFLORAMENTOS ROCHOSOS

43
CAMPO RUPESTRE
44
CAMPO SUJO
45
CAMPO LIMPO
46
MARES DE MORRO
47
CLIMA
  • mTa
  • TROPICAL ÚMIDO, SUBTROPICAL ÚMIDO E EQUATORIAL
  • ÍNDICES PLUVIOMÉTRICOS ENTRE 1500 E 2000mm
    ANUAIS
  • VERÃO- A mTa SE APROXIMA DO CONTINENTE TRAZENDO
    CHUVA
  • INVERNO A mTa RECUA PARA O OCEANO E A mPa
    AVANÇA PELO LITORAL DO SUDESTE E NORDESTE
    PRODUZINDO CHUVA

48
  • TROPICAL DE ALTITUDE (SUL DE MINAS LAVRAS
    919m DE ALTITUDE)
  • VERÕES AMENOS
  • INVERNOS MAIS FRIOS DEVIDO A ALTITUDE
  • É ENCONTRADO NAS PARTES MAIS ELEVADAS, ENTRE
    800m E 1000m, DO PLANALTO ATLÂNTICO DO SUDESTE

49
(No Transcript)
50
VEGETAÇÃO MATA ATLÂNTICA
  • O SEGUNDO MAIOR DOMÍNIO FLORESTAL DO BRASIL
    HOJE 5
  • FLORESTA HETEROGÊNEA
  • FAIXA PARALELA À COSTA DO RN AO RS REGIÃO
    SUDESTE E SUL (MATA DAS ARAUCÁRIAS E MARES DE
    MORRO)
  • TRECHOS MONTANHOSOS E ACIDENTADOS CHUVAS
    OROGRÁFICAS

51
  • A ALTA PLUVIOSIDADE DEVE-SE À BARREIRA QUE A
    SERRA CONSTIRUI PARA OS VENTOS QUE SOPRAM DO MAR

52
  • SUBDIVIDIDA DE ACORDO COM A ALTITUDE E COM O
    PORTE DA VEGETAÇÃO
  • MICROCLIMAS QUE VARIAM CONFORME A ALTITUDE
    DIVERSIDADE DE ESTRATOS
  • PERENEFÓLIA CUJAS FOLHAS NÃO CAEM ANTES DE AS
    NOVAS ESTAREM DESENVOLVIDAS
  • GRANDE DIVERSIDADE DE EPÍFITAS (BROMÉLIAS E
    ORQUÍDEAS)
  • HETEROGÊNEA
  • MATA DENSA

53
(No Transcript)
54
  • floresta latifoliada tropical úmida- floresta
    sempre verde, cujos componentes em geral possuem
    folhas largas, que é vegetação de lugares onde há
    bastante umidade o ano todo
  • mata pluvial tropical

55
(No Transcript)
56
RESTINGA
57
(No Transcript)
58
  • A vegetação de restinga é aquela que podemos
    encontrar ao longo das praias e das
  • planícies costeiras. Sua fisionomia variada
    está diretamente relacionada ao solo arenoso onde
    ela se encontra.
  • A vegetação é muito variada, dependendo da
    altitude e da pluviosidade vegetação rasteira,
    herbácea e alguns arbustos, moitas arvoretas
    com presença de bromélias, trepadeiras e
    orquídeas árvores mais altas (cerca de 10, 15 e
    até 40 m) e com copas que se tocam

59
(No Transcript)
60
MANGUE
  • ENCONTRO DA ÁGUA DOCE DOS RIOS COM A ÁGUA
    SALGADA DO MAR
  • RAÍZES AÉREAS
  • RICO EM DIVERSIDADE DE SERES VIVOS
  • TERRENO LODOSO
  • TRABALHO INFANTIL

61
(No Transcript)
62
(No Transcript)
63
(No Transcript)
64
(No Transcript)
65
CAATINGA
66
CLIMA
  • TROPICAL SEMI-ÁRIDO
  • INTERIOR DO NORDESTE (SERTÃO) E NORTE DE MINAS
  • TEMERATURAS MÉDIAS ELEVADAS
  • BAIXOS ÍNDICES PLUVIOMÉTRICOS 400mm ANUAIS
  • DISPERSORA DAS MASSAS DE AR
  • DÉFICIT HÍDRICO
  • ÁREA SUJEITA A DESERTIFICAÇÃO

67
  • OS MESES CHUVOSOS SÃO ENTRE DEZEMBRO A FEVEREIRO
  • A ESTAÇÃO SECA PODE DURAR DE NOVE MESES A UM
    ANO
  • CONVERGÊNCIA mEc / mEa / mTa
  • CHUVAS RARAS E IRREGULARES
  • VÁRIAS CAUSAS mTa ENCONTRA-SE COM AS MONTANHAS
    (PLANALTO DA BORBOREMA) / EL NIÑO / LA NIÑA

68
(No Transcript)
69
  • MESMO QUANDO CHOVE, O SOLO RASO E PEDREGOSO NÃO
    CONSEGUE ARMAZENAR A ÁGUA QUE CAI E A
    TEMPERATURA ELEVADA PROVOCA INTENSA EVAPORAÇÃO
  • GRANDE ESCOAMENTO SUPERFICIAL
  • BIOMA EXCLUSIVAMENTE BRASILEIRO

70
(No Transcript)
71
VEGETAÇÃO
  • MATA BRANCA
  • CADUCIFÓLIAS (PERDE AS FOLHAS NA ESTIAGEM PARA
    SE PROTEGER)
  • XERÓFILAS- ADAPTADAS A LONGOS PERÍODOS DE SECA
    ARMAZENAM ÁGUA
  • FOLHAS MIÚDAS E ESPINHOSAS
  • DIFERENTES ESPÉCIES DE CACTUS
  • ÁRVORES COM CASCAS GROSSAS E TRONCO RETORCIDO,
    RAÍZES PROFUNDAS E RETAS

72
(No Transcript)
73
(No Transcript)
74
(No Transcript)
75
(No Transcript)
76
ARAUCÁRIAS
77
CLIMA
  • SUBTROPICAL ÚMIDO
  • ACONTECE NAS LATITUDES ABAIXO DO TRÓPICO DE
    CAPRICÓRNIO
  • MAIORES AMPLITUDES TÉRMICAS DO PAÍS
  • NO VERÃO, INFLUÊNCIA DA mTa / mTc
  • NO INVERNO mPa
  • CHUVAS POUCO INTENSAS, MAS BEM DISTRIBUÍDAS AO
    LONGO DE TODO O ANO

78
(No Transcript)
79
CAI NEVE NOS PONTOS MAIS ALTOS DO PLANALTO
SANTA CATARINA
80
SÃO JOAQUIM - SC
81
PAMPAS / PRADARIA / CAMPOS
CLIMA SUBTROPICAL
82
VEGETAÇÃO
  • PRADARIA
  • FORMAÇÃO HERBÁCEA
  • EXTREMO SUL DO BRASIL- RS
  • RISCO DE DESERTIFICAÇÃO AREAL
  • ALEGRETE - RS

83
(No Transcript)
84
(No Transcript)
85
(No Transcript)
86
(No Transcript)
87
(No Transcript)
88
(No Transcript)
89
(No Transcript)
90
(No Transcript)
91
PANTANAL- FAIXA DE TRANSIÇÃO
92
(No Transcript)
93
  • BIOMA MAIS PRESERVADO DO PAÍS
  • PLANÍCIE
  • ENORME ÁREA DE SEDIMENTAÇÃO RIO PARAGUAI
  • ÁREAS INUNDADAS DURANTE A ESTAÇÃO DAS CHUVAS
  • ENORME DIVERSIDADE FLORESTAS, CERRADO,
    CAATINGA, CAMPOS, ETC.

94
(No Transcript)
95
MATA DOS COCAIS FAIXA DE TRANSIÇÃO
  • PALMEIRAS
  • CARNAÚBA, BABAÇU
  • NORDESTE ENTRE A FLORESTA AMAZÔNICA E A
    CAATINGA
  • MA, PI, TO, CE
  • MUITO EXPLORADA PELA POPULAÇÃO LOCAL

96
(No Transcript)
97
(No Transcript)
98
(No Transcript)
About PowerShow.com