FLUIDOS - PowerPoint PPT Presentation

1 / 30
About This Presentation
Title:

FLUIDOS

Description:

Universidade Federal Rural do Semiarido - UFERSA FLUIDOS Jusciane da Costa e Silva Mossor , Abril de 2010 * Introdu o - Fluido L quidos e gases tem a propriedade ... – PowerPoint PPT presentation

Number of Views:222
Avg rating:3.0/5.0
Slides: 31
Provided by: 6297404
Category:

less

Transcript and Presenter's Notes

Title: FLUIDOS


1
Universidade Federal Rural do Semiarido - UFERSA
FLUIDOS
Jusciane da Costa e Silva
Mossoró, Abril de 2010
2
Introdução - Fluido
  • Líquidos e gases tem a propriedade de poderem
    escoar ou fluir facilmente, daí o nome de FLUIDOS.

Sólido
Liquido
Gases
3
Introdução - Fluido
  • Fluidos
  • Estática dos Fluidos Pressão, Densidade, Fluido
    em Equilíbrio, Princípio de Pascal, Princípio de
    Arquimedes
  • Dinâmica dos Fluidos Linhas de Corrente,
    Equação da Continuidade, Equação de Bernoulli,
    Fórmula de Torricelli, Viscosidade.

Estática dos fluidos
Dinâmica dos fluidos
4
Fluido
Estática versos Dinâmica
  • A Estática os Fluidos (Hidrostática) trata o
    fluido quando ele está em repouso.
  • A Dinâmica dos Fuidos (Hidrodinâmica) trata o
    fluido quando ele está em movimento.

5
Fluido
  • Diferentes tipos de forças atuam no sistema

Diferença fundamental entre sólidos e fluidos
está na forma de responder a tensões tangenciais.
6
Densidade
Densidade é a massa por unidade de volume.
ou
Dois objetos feito com o mesmo material possuem a
mesma densidade, mesmo que tenham massas e
volumes diferentes. Isso acontece porque a razão
entre a massa e o volume é a mesma.
7
Densidade
  • A unidade S.I é o quilograma por metro cúbico

S.I kg/m3
  • Fator conversão
  • Densidade de alguns materiais varia de um ponto
    ao outro no interior do material.
  • Corpo humano gordura possui densidade 940 kg/m3
    enquanto os ossos tem densidade de 1 700 kg/m3.

8
Densidade Relativa
  • Densidade relativa de alguns materiais ou massa
    especifica relativa é a razão entre densidade do
    material e a densidade da água a 4 C, 1000
    kg/m3.
  • É um número puro.

9
Exemplo 01
  • PESO DO AR NO INTERIOR DE UMA SALA ache a massa
    e o peso do ar no interior de uma sala de estar
    com uma altura de 3,0 m e um piso com uma área
    de 4,0 x 5,0. Quais seriam a massa e o peso de um
    volume igual de água?
  • AR
  • ÁGUA

O volume da sala
O volume da sala
A massa
A massa
O Peso
O Peso
10
Pressão
  • Considere um pistão de área A que pode deslizar
    em um cilindro fechado e que está de repouso
    sobre uma mola.

Força por unidade de área
  • A pressão do fluido sobre o pistom é

(1 Pa 1 N/m2)
Se a pressão é variável sobre a área
11
Fluidos em Repouso
  • As pressões encontradas pelo mergulhador e pelo
    montanhista são chamadas de pressões
    hidrostáticas, pois são decorrentes de fluidos
    estáticos.
  • Queremos encontrar a pressão hidrostática como
    função da profundidade ou altitude.

  • A Pressão atmosférica (Pa) é a pressão exercida
    pela atmosfera terrestre, a pressão no fundo
    desse oceano de ar que vivemos. Essa pressão
    varia com as condições do tempo e com a altitude.

12
Fluidos em Repouso
  • Consideremos um tanque cheio de água, onde
    colocamos um cilindro circular de base reto nele.
  • A água está em equilíbrio estático, ou seja, as
    forças se equilibram.
  • 3 forças atuam no meu sistema

13
Fluidos em Repouso
  • Portanto

Usando algumas definições, encontramos
que é a LEI DE STEVIN que nos diz a pressão
depende da profundidade e não da dimensão
horizontal do recipiente.
onde P é a pressão absoluta e consiste em duas
contribuições
  1. P0 pressão atmosférica aplicada num líquido.
  2. rgh pressão devido ao liquido acima do
    recipiente.

A diferença entre pressão absoluta e a
atmosférica é chamada de PRESÃO NANOMÉTRICA.
14
Exemplo 02
  • Um mergulhador novato se exercitando em uma
    piscina com um cilindro, inspira de seu tanque ar
    suficiente para expandir completamente seus
    pulmões, antes de abandonar o cilindro a uma
    profundidade L e nadar até a superfície. Ele
    ignora as instruções e não exala ar durante a
    subida. Quando ele atinge a superfície, a
    diferença entre a pressão externa sobre ele e a
    pressão do ar em seus pulmões é de 9,3 kPa. De
    que profundidade ele partiu? Que risco ele correu?
  • SOLUÇÃO

Apesar de não ser profundo, a diferença de
pressão é suficiente para romper os pulmões do
mergulhador e forçar a passagem de ar dos pulmões
para a corrente sanguínea despressurizada, que
então transporta o ar para o coração matando o
mergulhador.
15
Princípio de Pascal
Pela lei de Stevin, a diferença de pressão entre
dois pontos em um líquido homogêneo em equilíbrio
é constante, dependendo apenas do desnível entre
os pontos. Portanto se produzimos uma variação de
pressão num ponto de um líquido em equilíbrio
essa variação se transmite a todo líquido, ou
seja, todos os pontos sofrem a mesma variação de
pressão.
16
Princípio de Pascal
Principio de Pascal Uma variação de pressão
aplicada em um fluido incompressível é
inteiramente transmitido para toda porção do
fluido e para as paredes do recipiente.
Ex Elevador Hidráulico
17
Princípio de Pascal
Se o pistom da entrada for deslocado por dE o
pistom de saída move-se para cima uma distância
dE, de modo que o mesmo volume do liquido é
deslocado pelos dois pistons.
O trabalho realizado da saída é
Ou seja, o trabalho realizado pelo pistom de
entrada pela força aplicada é igual ao trabalho
realizado pelo pistom de saída ao levantar o
carga sobre ele.
18
Vasos Comunicantes
19
Princípio de Arquimedes
Consideremos um objeto que se encontra em
equilíbrio na água (nem afunda e nem sobe).
A força gravitacional para baixo deve ser
equilibrada por uma força resultante para cima
exercida pela água.
20
Princípio de Arquimedes
Esta força resultante para cima é uma força
chamada de EMPUXO (Fe). Ela é resultante do
aumento de pressão com a profundidade.
21
Princípio de Arquimedes
Exemplos pedra e madeira.
PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES Um corpo total ou
parcialmente imerso num fluido sofre ação de uma
força de módulo igual ao peso do fluido deslocado
pelo corpo e que aponta para cima.
22
Flutuação
  • Quando o bloco de madeira flutua em um liquido, o
    módulo do empuxo sobre o corpo é igual ao módulo
    da força gravitacional sobre o corpo.

Portanto, quando um corpo flutua em um fluido, o
módulo da força gravitacional sobre o corpo é
igual ao peso do fluido deslocado pelo corpo.
  • PESO APARENTE

Quando pesamos um bloco numa balança obtemos a
massa exata do objeto. No entanto se fizermos
isso submerso na água, o empuxo para cima faz com
que essa leitura diminua. Essa leitura é então o
PESO APARENTE.
23
Flutuação
O peso aparente esta relacionado com o peso real
e o empuxo
Logo o corpo que flutua tem peso aparente igual a
zero.
  • Num fluido a força aplicada deve exceder apenas
    o peso aparente, já que o empuxo para cima
    ajudaria a levantar o corpo.

24
Fluidos ideais em Movimento
25
Fluidos ideais em Movimento
  • CONSIDERAÇÕES
  • O fluido é estacionário v constante.
  • A fumaça de cigarro.
  • O fluido é incompressível r é a mesma.
  • O fluido não viscoso resistência ao
    escoamento.
  • Mel é mais resistente ao escoamento do que a
    água.

26
Linhas de Corrente
  • Todas as partículas que passarem por P seguirão
    a mesma trajetória, chamada LINHA DE CORRENTE.
  • Tornar visível o escoamento de um fluido.
  • A velocidade da partícula é sempre tangente a
    trajetória.
  • As linhas de corrente nunca se cruzam.

27
Equação da Continuidade
  • A equação da continuidade
  • A velocidade do escoamento aumenta quando
    reduzimos a área de seção transversal da qual o
    fluido flui.
  • A vazão do fluido é

Volume que passa através de uma dada seção por
unidade de tempo.
28
Equação de Bernoulli
  • Relação entre pressão, velocidade e altura no
    escoamento Equação de Bernoulli.
  • Aplicações
  • escoamento em sistemas
  • de escoamento
  • voos de aeronaves
  • usinas hidroelétricas.

29
Equação de Bernoulli
  1. Calcular o trabalho realizado sobre o sistema
    pelas forças não conservativas (pressão).

2. Calcular o trabalho realizado sobre o sistema
pelas forças conservativas (cinética
potencial).
30
Equação de Bernoulli
EQUAÇÃO DE BERNOULLI
  • Equação de Bernoulli afirma que o trabalho
    realizado pelo fluido das vizinhanças sobre uma
    unidade de volume de fluido é igual a soma da
    energia cinética e potencial ocorridas na unidade
    de volume durante o escoamento.
  • Ou a equação de Bernoulli é a soma das pressões
    devido a diferença de velocidade e altura.
Write a Comment
User Comments (0)
About PowerShow.com